Audiência pública salutar

Quando o tema, é Segurança Pública no Brasil, chegamos a triste realidade; estudos identificam que a segurança pública é a maior deficiência em nosso país, desta forma, caracterizando seu maior gargalo. Dados estatísticos de 2016, realizados através de estudos feitos pelo Centro de Liderança Pública (CLP), em parceria com a Consultoria Tendências e a Economist Intelligence Group.

Tendo como tema central, Segurança Pública, o primeiro lugar do Ranking, foi ocupado pelo estado do Paraná, com boas colocações em déficit carcerário, atuação do sistema de justiça criminal, morte no trânsito e segurança patrimonial. Nesse mesmo Ranking, aparecemos em 18º lugar.

O índice exacerbado de violência em nosso país é recorrente; só para que vocês tenham ideia, o número de assassinatos cometido no Brasil em 2016 foi equivalente às mortes provocadas pelas bombas atômicas que dizimaram a cidades de Hiroshima e Nagasaki, em 1945, no Japão.

Em Mato Grosso, a situação não é diferente, vivemos em constante insegurança, não apenas, pela ineficiência do Estado, como também pela falta de politicas públicas de Segurança, além do desajuste familiar, educação precária; a somatória desses fatores está nos levando ao caos.

Na contramão da história, o governo do Estado, de forma unilateral, resolve fechar num primeiro momento 21 delegacias, depois, fala-se em 16 e por ai vai, até mesmo, nesta tomada de decisão quanto ao número de unidades a serem fechadas por parte do governo é desconexa; isso mostra a falta de habilidade no trato da questão, que é de suma importância para os cidadãos que se encontram nos rincões do Estado, a mercê da sorte.

De forma brilhante, o deputado estadual Elizeu Nascimento (DC), presidente da Comissão de Segurança Pública e Comunitária, realizou na última sexta-feira (15), uma audiência pública, na qual estiveram presentes: prefeitos e vereadores (do interior), seguimentos sociais organizados, enfim uma plateia eclética, que tinha como foco principal, demover o governo do Estado, da decisão de fechar as respectivas delegacias.

Fizeram parte da mesa; para não ser prolixo, vou nominar apenas alguns, o presidente Elizeu Nascimento (DC), o vice-presidente Delegado Claudinei (PSL), deputado Max Russel (PSB), Dr. Eugênio (PSB), procurador-geral do Ministério Público Estadual (MPE-MT) José Antônio Pereira Borges, delegado geral da Polícia Civil de Mato Grosso Mário Demerval Aravechia, a presidente do Sindicato dos Investigadores da Policia Civil, Edileusa Mesquita, entre outros.

Para não delongar, vou reproduzir apenas a fala do vereador de Nova Lacerda, Adair José da Silva, lembrou que o município esta localizado em uma região de fronteira e a 100 quilômetros das delegacias mais próximas e que, portanto, a presença da polícia é importante.

Ele diz "Essa proposta, está sendo feita sem ouvir a população", esse, é o sentimento de todos os munícipes, dos municípios que estão na lista das delegacias a serem fechadas. A fala do nobre vereador ecoa o sentimento, dos demais municípios que terão suas delegacias fechadas.
Pare o mundo, quero descer!

Professor Licio Antonio Malheiros é geógrafo