MT NO CINEMA

A Batalha de Shangri-lá estreia em 2 festivais nacionais este mês

Jornalista Jonas Jozino | 17/11/2019 09:33:17

Primeiro longa do cineasta mato-grossense Severino Neto foi selecionado para Festival Mix Brasil, de SP, e Festival do Cinema Brasileiro, em Brasília

 



 
Mato Grosso estará em destaque nacional nas próximas semanas mostrando que no Estado também se faz cinema e de qualidade. A produção local “A Batalha de Shangri-lá” foi selecionada para dois dos principais festivais de cinema do país, o Festival de Brasília do Cinema Brasileiro e o Festival Mix Brasil de Cultura da Diversidade – este está acontecendo em São Paulo, desde o dia 13 até 20 de novembro. “A Batalha de Shangri-lá” será apresentado no Festival Mix no domingo, dia 17, no Cinesesc. Já em 30 de novembro será sua vez no Festival de Brasília.

O filme é a estreia do publicitário, roteirista e cineasta mato-grossense Severino Neto na direção de longas e conta também com a parceria do codiretor Rafael de Carvalho. O espectador acompanha a jornada de João que, depois da morte de seu pai adotivo, parte em busca de sua mãe biológica, que o abandonou há quase 40 anos no interior de Mato Grosso. Numa viagem por um Brasil profundo, ele conhece sua cidade natal e pessoas que fizeram parte do passado da mulher a quem ele procura.

As pistas encontradas nessa pequena cidade o levam de volta à capital Cuiabá, mas, também, o envolvem por caminhos físicos e emocionais que alteram suas convicções e preconceitos.

A produção conta com nomes conhecidos no elenco principal, como a atriz Ingra Liberato, que entre outras novelas globais fez “Ana Raio e Zé Trovão”, “Tieta” e “Segundo Sol”; o ator Gustavo Machado cuja longa carreira no cinema inclui os filmes “Chacrinha”, “Elis”, “Bruna Surfistinha” e “As Melhores Coisas do Mundo”, além de novelas como “A Força do Querer”, “Além do Tempo” e “Sete Vidas” - atualmente Gustavo pode ser visto na série “Coisa Mais Linda”, da Netflix; e Maria Ceiça da série “Sobre Pressão”, da Globo. Ceiça também estrelou novelas de sucesso como "Por Amor" e as séries "Chiquinha Gonzaga" e "Filhas do Vento" e os filmes "Se eu Fosse Você", “Orfeu” e “Carlota Joaquina”.

As locações foram feitas em Cuiabá e em estradas por Santo Antônio de Leverger, Chapada dos Guimarães, Campo Verde e Nova Brasilândia. A equipe de produção é quase que 80% local.

Como o filme está percorrendo o circuito de festivais, ainda não há previsão de lançamento nacional e em Mato Grosso.

Conflitos

“A Batalha de Shangri-lá” é uma história atual e recorrente, que toca em temas atuais, mas difíceis de lidar, como violência familiar e social e a sexualidade em evidência. O filme é um drama, com pitadas de suspense e tragédia, que possui nuances e camadas complexas, desvendadas passo a passo.

O cineasta Severino Neto conta que o filme nasceu para amenizar sua angústia sobre o tema sexualidade e violência familiar e que a narrativa é baseada em suas vivências e observações. “Um amigo me perguntou quanto tempo eu demorei para escrever este meu primeiro longa de ficção. Eu respondi que foram 38 anos, minha idade. Ele sorriu, consentiu com a cabeça e me deu um abraço. Aquilo me fez ter certeza de que cinema é muito mais do que um conjunto de regras narrativas”, explica.

“Cinema é pegar tudo que você viveu e viu, tudo que te emocionou, te fez sofrer, tudo que faz sentido ou não, tudo que te incomoda. Cinema é sua voz, sua opinião, sua ideologia. É responsabilidade com o seu entorno e uma crítica sobre o que você considera belo, intrigante, errado ou absurdo”, acrescentou o cineasta.

Severino Neto recai o olhar sobre Mato Grosso, onde os rincões escondem preconceitos e violência, mas gritam o silêncio sobre o que ocorre. Em suas pesquisas para o roteiro, percebeu que é o Estado onde, proporcionalmente, mais se agride e mata homossexuais, transexuais e travesti no Brasil. “E é incrível e revoltante que esse tipo de assunto não faça parte de pautas ou discussões. Por isso, minha necessidade em falar sobre esse assunto, retratá-lo, comunicá-lo de alguma forma”, reforça o cineasta.

O roteiro de a “A Batalha de Shangri-Lá” foi selecionado em Madri (Espanha) na 13ª edição do concorrido Ibermedia (programa de incentivo à co-produção de filmes de ficção e documentários realizados na comunidade Ibero-Americana). O roteiro de “A Batalha de Shagri-la” também venceu o primeiro edital de produção Ancine/FSA.

Severino Neto explica que foi no Ibermedia que o roteiro de fato nasceu. “Meus consultores foram Karim Ainouz e Tomas Aragay, dois baitas roteiristas, graças a isso o filme existe. O Ibermedia é importante, porque é um grande Laboratório de Desenvolvimento de Roteiro, um dos maiores do mundo, que abrange toda a América Latina, mais Portugal e Espanha”.

Roterista e diretor, Karim Ainouz é diretor de “A Vida Invisível”, produção brasileira indicada a concorrer ao Oscar de Filme Estrangeiro, é também responsável por filmes como “Madame Satã” e “O Céu de Sueli”. Já Tomas Aragay é um escritor e roteirista espanhol, vencedor do prêmio Goya de Melhor Roteiro Original por Truman (com Ricardo Darin).

O cineasta

Com formação em Publicidade e Propaganda e especialista em Cinema, a participação em grandes festivais já se tornou rotina para Severino Neto, que já teve seus curtas selecionados para vários deles com inúmeras premiações. Seu primeiro curta-metragem de ficção, “3,60”, foi vencedor de seis prêmios. Já o curta-metragem documental “Composto” foi selecionado em 37 festivas, ganhou seis prêmios internacionais e foi adquirido pelo Canal Brasil.

Já o último curta-metragem de ficção, “Juba”, foi selecionado em 26 festivais e também ganhou vários prêmios. Seu novo roteiro de curta-metragem ficcional, “Mata Grande”, foi selecionado para o Labex no 28º Festival Internacional de Curtas-Metragens de São Paulo e ganhou o prêmio TNT Labex-Curta Kinoforum.

Severino também teve seu roteiro de longa-metragem de ficção, “Memória de Elefante”, selecionado e ganhou o pitching do 12º Curso de Formação Profissionais do Núcleo de Desenvolvimento de Roteiros Audiovisuais, em Goiânia, além de ser finalista do 4º Festival de Roteiro Guiões, em Lisboa, e ganhou o 2º edital estadual de Arranjos Regionais Ancine/FSA.

Apaixonado por cinema e workaholic, Severino também atua no desenvolvendo do longa documental "Chumbo", sobre o Trabalho Escravo, e também está em processo de desenvolvimento de três novos roteiros de longas-metragens de ficção: “Pedra Bruta”, “Lovely” e “Trieiro”.

O profissional atua como diretor de produção na agência de publicidade FCS, onde já foi premiado nacionalmente por peças publicitárias.