Entre o humor e o pesar, "After Life" analisa o que nos motiva a viver

IG Gente | 15/03/2019 04:20:04

Nova série do britânico Ricky Gervais, já disponível na Netflix, é um achado. Produção examina o luto de maneira ácida, mas traz mensagem iluminada

A nova série de Ricky Gervais, criador de "The Office" (2001 - 2003) é uma dessas coisas brilhantes e fluídas, de difícil rótulo, que surgem na TV de vez em quando. "After Life" trata do luto, ao observar os absurdos da vida, mas também os pequenos afetos, com engenho, pesar, e indevassável beleza. 

Ricky Gervais, que escreve e dirige todos os episódios de "After Life", vive Tony, um homem que parece se recusar a superar a morte da mulher, que partiu após sucumbir a um câncer. Ele trabalha em um pequeno jornal de bairro comandado pelo cunhado, o inspirado Tom Basden.

A rotina de Tony consiste basicamente em entrevistar figuras estranhas com histórias bizarras como uma mancha de vazamento que se parece com Kenneth Branagh ou um bebê que lembra Adolf Hitler. O protagonista parece se desencontrar de sua humanidade, de sua capacidade de empatia e as interações com o cunhado e com seus outros colegas de trabalho são os principais termômetros dessa realidade.

Outras cenas preciosas dessa primeira temporada são quando ele está em consulta com seu psquiatra, um tipo para lá de hermético vivido por Paul Kaye ("Game of Thrones"), ou em outro tipos de consulta, como com o viciado em drogas Julian (Tim Plester) ou com uma viúva que conversa com seu falecido marido no cemitério.

A série combina aquele humor incômodo, ora lacônico ora ruidoso, de Gervais e o faz com inteligência destacável. A produção enseja reflexões existenciais a partir de casos muito concretos de quem vive ou viveu situações análogas. 

Como ator, Gervais nunca esteve melhor. Não permite que o tempo do humor afete a construção dramática de seu personagem e também faz maravilhas nas cenas mais pesadas - elas não são poucas. 

"After Life" marca mais uma colaboração bem sucedida do britânico com a Netflix. Além do especial de humor "Humanidade", ele também fez os filmes "David Brent: A Vida na Estrada" (2016) e "Special Correspondents" (2016), além de participar de séries como "BoJack Horseman".

Fonte: IG Gente