Line-up do palco Brasil não extrapola previsibilidade no João Rock 2019

Verônica Maluf | 16/06/2019 16:35:11

Palco recebeu apenas atrações de Brasília e teve recepção tímida diante do impacto provocado pelos outros dois palcos do festival de música paulista

Apesar da boa curadoria geral do festival, o Palco Brasil - que nesta edição contemplou o tema “Brasília” - acabou refletindo falta de tato com a concepção de uma linha estratégica coerente entre os artistas e deixou uma sensação de “improviso” no final da noite. Mesmo com nomes grandes no line-up, como Capital Inicial e Raimundos, o João Rock mostrou que ainda há dificuldade de segurar o mesmo nível de qualidade em todos os palcos que fazem uso da cartela nacional de atrações disponíveis.

Quem inaugurou a programação do espaço foi a Plebe Rude que mostrou bastante energia, ainda que não fosse o maior e mais empolgado público que já tivessem visto. Como já era de se esperar, houve críticas aos estabilishment social e músicas que falam sobre política e censura. Nada que fosse surpreendente, dado todo o contexto da banda. Seria preciso, contudo, que a organização do evento soubesse utilizar dessa inflamação para dar uma guinada positiva para o palco.

Quebrando a atmosfera de guitarras pesadas e gritos políticos, o grupo seguinte foi Tribo da Periferia. Com uma sonoridade mais chegada no pop gringo, houve uma quebra de estilos na passagem de um para o outro - é esse o tipo de coerência que a organização poderia olhar. Ao invés de trazer um tema sedimentado, talvez outro modelo de separação fosse mais atraente para o público.

A atração seguinte também não convenceu: Bonfá e Dado tocando Legião Urbana. Mesmo com o público cantando junto, a apresentação se segurava mais em grandes sucessos da banda e no simbolismo ligado ao seu nome do que pela música em si.

O final da noite no palco secundário do João Rock abriu espaço para grandes sucessos já batidos que toda a plateia já conhecia e acompanhava a plenos pulmões - o que não é, de modo algum, um descrédito. Pelo contrário. O Capital Inicial, carismático e previsível, manteve a empolgação das pessoas lá em cima. Quem fechou a programação do espaço foi o Raimundos, seguindo o mesmo modelo dos demais. A sensação que o Palco Brasil acabou deixando no final foi de faltar algo mais elaborado do que somente shows para ver enquanto outros shows não começam.

Fonte: IG Gente