"Sobrevivi graças aos amigos e a música", afirma Gaivota Naves

Ranyelle Andrade | 21/07/2019 05:20:43

Artista brasiliense conta como superou acidente e morte do namorado em 2017 e fala sobre a nova fase - na carreira e na vida pessoal

Jacqueline Lisboa/Esp. Metropoles

Gaivota Naves foi batizada com nome de pássaro, mas há dois anos e meio descobriu que tinha uma verdadeira fênix dentro de si. Como a ave mitológica, ela viveu uma sequência de acontecimentos dolorosos e teve de superá-los para inaugurar uma nova fase em sua vida. Renasceu, em uma “Gaivota dois ponto zero”, como brinca a artista brasiliense.

Em 2017, ela sobreviveu a uma experiência de quase morte e precisou se recuperar enquanto atravessava um delicado momento de luto.

Na época, a compositora e vocalista trabalhava em um disco autoral com o músico Pedro Souto. Em um tarde, após um dia inteiro trabalhando no projeto, sofreu um acidente voltando pra casa. Um carro descontrolado invadiu a pista na contramão e lhe acertou em cheio.

Apesar de ter fraturado 80% dos ossos da face e sofrido um traumatismo craniano, Gaivota teve sorte. Na opinião de todos os médicos, sobreviver sem sequelas graves, àquelas circunstâncias, era improvável, pra não dizer um milagre.

A descoberta de que a vida poderia ser breve veio acompanhada de um senso de urgência. Como resultado, Gaivota terminou o namoro que mantinha à distância e declarou-se para Pedro, por quem estava apaixonada. Ele correspondeu a investida e os dois começaram a namorar.

A relação ajudou Gaivota a atravessar os primeiros meses de recuperação, manter a cabeça erguida e alcançar uma melhora rápida o suficiente para deixar os médicos boquiabertos: menos de dois meses depois do acidente, ela estava de volta aos palcos. E com a voz mais potente que nunca.

 

Jornalista: Ranyelle Andrade