Falido, ex-número 1 do mundo vai vender troféus de Wimbledon para pagar dívida

Ex-jogador alemão vai precisar vender seus três troféus do Grand Slam inglês para poder arcar com suas dívidas, que chegam a mais de R$ 220 milhões

| 06/10/2017 09:40:03
Boris Becker é tricampeão em Wimbledon e está falido
Divulgação
Boris Becker é tricampeão em Wimbledon e está falido

O ex-jogador profissional de tênis e vencedor de seis Grand Slams, Boris Becker teve seu auge na década de 80 mas hoje passa por maus bocados. Ex-número 1 do mundo, o alemão possui uma dívida de mais de 60 milhões de euros, quantia equivalente a cerca de R$ 220 milhões. Falido, para poder custear o altíssimo valor, se prepara para vender seus três troféus de Wimbledon.

LEIA TAMBÉM: Kvitova dá a volta por cima após quase perder os dedos em assalto; imagem forte

As vitórias na Inglaterra aconteceram nos anos de 1985, 1986 e 1989 e na primeira vez, foi o mais jovem vencedor do torneio. De acordo com o jornal The Sun, Becker ficou falido após a dívida com o banco britânico Arbuthnot Lathan, mas o valor acima citado era apenas uma parte de suas dívidas.

O jornal alemão Bunte teve acesso aos documentos do tribunal e revelaram detalhes do processo. Somente o divórcio do ex-treinador de Novak Djokovic com a primeira esposa e pensões para os filhos ficam em torno dos R$ 74 milhões. Um ex-sócio em negócios também cobra de Becker quase R$ 129 milhões e os valores podem sofrer aumento, se considerado que outros credores ainda podem entrar na Justiça.

LEIA TAMBÉM: Tenista interrompe partida para pedir que agasalhassem sua filha na arquibancada

Atualmente o tricampeão de Wimbledon trabalha como comentarista em uma emissora de televisão e para ajudar no pagamento das dívidas, além dos troféus, o ex-jogador ainda pretende vender casas, propriedades e relógios de luxo. Em agosto deste ano, foi nomeado pela federação alemã de tênis como o chefe do esporte em seu país. O próprio advogado de Boris chegou a afirmar que "ele não é um indivíduo sofisticado quando se fala em finanças", disse John Briggs.


ATENÇÃO: Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do 24 Horas News