Frank de Boer critica igualdade salarial entre homens e mulheres: "Ridículo"

Agência O Globo | 14/08/2019 14:20:34

Técnico do Atlanta United não concorda que a seleção feminina holandesa de futebol receba o mesmo que a seleção masculina: "Não entendo isso"

Vice-campeãs do mundo no futebol, as holandesas ganharam uma ótima notícia antes da disputa da Copa, quando a federação do país anunciou que pagaria os mesmos salários para homens e mulheres até 2023. Mas parece que nem todo mundo gostou da ideia: técnico do Atlanta United (EUA) e lenda do futebol holandês, o ex-zagueiro Frank de Boer criticou a ideia.

— Para mim, é ridículo. É o mesmo que no tênis. Se há 500 milhões de pessoas, ou algo assim, assistindo à final da Copa do Mundo (masculina), e 100 milhões assistindo à final das mulheres, é uma diferença. Não é a mesma coisa, então — declarou Frank de Boer, em entrevista ao jornal inglês "The Guardian".

A igualdade salarial é uma das principais pautas do futebol feminino. Atuais campeãs mundiais, as americanas chegaram a processar sua federação, em março, em busca de equilíbrio nos números em relação aos homens.

— Se (o futebol feminino) é tão popular quanto o masculino, elas conseguirão isso, porque a receita e a propaganda virão. Mas não é assim, então por que elas devem ganhar o mesmo? Acho ridículo. Não entendo isso — completou o ex-jogador.

Segundo de Boer, as mulheres devem ser pagas "o quanto elas merecem, e não menos, mas o que realmente merecem". O holandês disse, ainda, ser a favor do pagamento igualitário em outras áreas, mas não no esporte.

— Se você é diretora de um banco ou algo assim, você deve ganhar o mesmo que os homens, porque não é uma questão física, mas "daqui". Então, por que você deve ganhar menos, se está fazendo o mesmo trabalho que um homem? — indagou Frank de Boer ao "Guardian", enquanto sinalizava apontando para sua cabeça.