Ouro no Pan abre portas e tenista João Menezes sonha alto no circuito

Estadão Conteúdo | 20/08/2019 10:00:18

O mineiro de 22 anos teve uma trajetória discreta sem manchetes e títulos de peso também em seu início no profissional

Reprodução/Twitter

João Menezes nunca foi um dos juvenis mais badalados do tênis brasileiro. O mineiro de 22 anos teve uma trajetória discreta, assim como é sua personalidade, sem manchetes e títulos de peso também em seu início no profissional. Ao menos até este ano.

Tudo mudou a partir do ouro conquistado nos Jogos Pan-Americanos de Lima, no Peru. A medalha dourada veio acompanhada de uma vaga na Olimpíada de Tóquio-2020.

E também de holofotes. “Bastante coisa mudou em termos de atenção de mídia, patrocinadores e oportunidades. Dei muita entrevista para rádio e televisão”, disse Menezes sem esconder a surpresa pela repercussão do título pan-americano.

A maior conquista de sua carreira já assegurou maior atenção por parte de empresários. “Logo, logo vou estar anunciando alguns patrocinadores com os quais estou negociando”, afirmou o atleta, acostumado a receber pouco apoio, como é de regra no tênis juvenil brasileiro e no início do profissional. “Porém agora as coisas podem se encaminhar de uma forma diferente”.

O ouro no Pan de Lima não foi por acaso. Confirmou a trajetória de ascensão de um atleta que já considera a temporada 2019 um divisor de águas. “Com certeza esta é a melhor temporada da minha carreira. Evoluí muito neste ano, comecei a sacar melhor e, principalmente, o meu físico melhorou demais. E também comecei a ter mais confiança nos meus golpes. Acho que é uma soma de fatores”.

O título no Peru foi precedido do seu primeiro troféu de challenger, torneios de nível logo abaixo das competições da ATP A conquista aconteceu em Samarkand, no Usbequistão, em maio. E trouxe benefícios no ranking.

Jornalista: Estadão Conteúdo