AINDA ESTAVA VIVO

Bebê declarado morto acorda a caminho do funeral

As autoridades locais abriram uma investigação para analisar se houve erros médicos no caso. Até agora, se sabe que os responsáveis pelo parto não realizaram um eletrocardiograma, capaz de avaliar o coração de uma pessoa e capaz de detectar pequenos impulsos elétrico

Redação 24 Horas News | 07/12/2017 06:57:08

Um caso recente na Índia tem chamado bastante atenção do mundo todo. Um bebê nascido no Max Hospital e declarado morto depois de suas primeiras horas de vida acabou acordando a caminho de seu próprio funeral. A criança viveu por mais cinco dias, mas acabou morrendo de verdade. Em 30 de novembro, o hospital, considerado de luxo, em Nova Delhi, a mãe do bebê chegou ao hospital, com dores fortes. A mulher, grávida de gêmeos, estava com seis meses de gestação e foi encaminhada por outro hospital da região.

De acordo com o jornal Washington Post, a gestante estava com sangramento e foi informada pelos médicos sobre a necessidade de realizar um parto de emergência – os bebês tinham cada vez menos chances de sobreviver. A primeira criança, nascida as 7h30, veio ao mundo sem vida, enquanto a segunda , nascida 12 minutos depois, sobreviveu, mas, segundo os médicos, acabou morrendo. Por volta das 13h o recém-nascido foi declarado morto. Os bebês foram colocados em uma espécie de bolsa de plástico e entregues ao pai, que se dirigia ao crematório da região. No caminho ele teria percebido que a sacola estava se mexendo. O bebê sobrevivente foi levado a um hospital próximo, onde foi tratado por cinco dias, mas não resistiu.

As autoridades locais abriram uma investigação para analisar se houve erros médicos no caso. Até agora, se sabe que os responsáveis pelo parto não realizaram um eletrocardiograma, capaz de avaliar o coração de uma pessoa e capaz de detectar pequenos impulsos elétricos. O hospital informou que desligou os profissionais de sua equipe e que está analisando registros e vídeos em busca de provas que ajudem a entender o que aconteceu. “Estamos abalados e preocupados com este incidente raro”, afirmou a direção.

De acordo com o site New Indian Express, se o hospital for considerado culpado, pode perder sua licença médica. “Quando o relatório final sair, medidas mais severas serão adotadas”, explica um dos responsáveis pela investigação.


ATENÇÃO: Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do 24 Horas News