Bolsonaro e Araújo ligam assassinato do menino Rhuan à ideologia de gênero

Manoela Albuquerque | 11/07/2019 20:29:00

Chanceler brasileiro afirmou que o Brasil quer defender "os princípios da família" no Conselho de Direitos Humanos da ONU

Reprodução/Facebook

Em live no Facebook, na noite desta quinta-feira (11/07/2019), o ministro das Relações Exteriores, Ernesto Araújo, reafirmou que uma das bandeiras na disputa pela reeleição ao Conselho de Direitos Humanos da Organização das Nações Unidas (ONU) é o combate à ideologia de gênero. Esse foi o motivo pelo qual, segundo ele, o menino Rhuan Maycon da Silva Castro, de 9 anos, foi morto pela mãe. 

“Ideologia de gênero é um ninho de rato ideológico. É uma coisa que tem que tacar fogo, porque isso causa danos à saúde da família humana, do ser humano. Um exemplo muito infeliz é o caso do menino Rhuan. Quando você tem uma mãe que acha que pode mudar o sexo do filho. Por que isso existe? Porque existe uma ideologia de gênero”, justificou.  

BrasilBolsonaro vai mudar “genitor” para “pai e mãe” em passaporte infantilÀ bancada evangélica, o presidente também anunciou que vai se candidatar ao conselho de Direitos Humanos da ONU

Jornalista: Manoela Albuquerque