Marco Aurélio: “Bolsonaro nomear filho embaixador pode ser nepotismo”

Da Redação | 11/07/2019 21:00:04

Para ministro do STF, decisão é um ‘tiro no pé". Magistrado já evitou nomeação de filho do prefeito Marcelo Crivella em cargo no Rio

O ministro Marco Aurélio Mello, do Supremo Tribunal Federal (STF), disse nesta quinta-feira (11/07/2019) ao Estadão que uma eventual indicação do deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) para a embaixada do Brasil nos Estados Unidos é um “péssimo” exemplo” e um “tiro no pé”, podendo ser enquadrada como nepotismo.

“Sob a minha ótica, não pode, é péssimo. Não sei o que os demais (ministros do Supremo) pensam. Não acredito que o presidente Bolsonaro faça isso. Será um ato falho, um tiro no pé”, disse Marco Aurélio, enquanto aproveita as férias em Portugal. O Supremo só retoma as atividades em 1º de agosto.

“Agora, penso que o presidente Jair Bolsonaro deve contas aos eleitores e aos brasileiros em geral. O exemplo vem de cima. Ele chegou para nos governar e governar bem, não para proporcionar o Estado aos familiares”, observou.

Em fevereiro de 2017, Marco Aurélio deu liminar suspendendo a nomeação de Marcelo Hodge Crivella para o cargo de secretário-chefe da Casa Civil da gestão do pai dele, Marcelo Crivella (PRB), na Prefeitura do Rio, por entender que se tratava de nepotismo.

PolíticaBolsonaro cogita indicar filho Eduardo como embaixador nos EUA“Está no meu radar, sim”, disse o presidente. Avaliação seria de que “ele fala inglês” e tem “boa relação” com a família Trump

Jornalista: Da Redação