MUNICIPIOS

Parceria entre AMM e Funasa garante entrega

Jornalista Jonas Jozino | 03/04/2017 10:54:41

Conforme explica a coordenadora jurídica da AMM, Débora Simone Farias, as equipes das prefeituras buscaram o apoio para solucionar as pendências nos convênios com a Funasa

 

O trabalho conjunto da Associação Mato-grossense dos Municípios e da Fundação Nacional de Saúde orientando os municípios na adequação e execução de convênios tem garantido investimentos na área de saneamento básico por todo o estado. Na última sexta-feira (31) o superintendente regional da Funasa, Francisco Holanildo da Silva, se reuniu com os prefeitos de Glória D’Oeste e Indiavaí, Paulo Remédio e Valteir Quirino, para definir os procedimentos mais adequados para a retomada de obras das gestões anteriores.

Na ocasião, Francisco destacou a importância do acompanhamento desde a elaboração até a execução dos projetos. “A atuação técnica da AMM e da Funasa nos últimos anos garantiu que os recursos fossem aplicados corretamente, proporcionando benefícios diretos à população”, ressaltou.

Conforme explica a coordenadora jurídica da AMM, Débora Simone Farias, as equipes das prefeituras buscaram o apoio para solucionar as pendências nos convênios com a Funasa. “Os prefeitos estão contando com o suporte técnico das duas instituições para finalizar as obras, demonstrando o compromisso das atuais gestões na aplicação dos recursos públicos em demandas importantes da população”, frisou.

No caso de Indiavaí, o prefeito Valteir Quirino busca retomar as obras de ampliação do sistema de abastecimento de água e de coleta de esgoto que estão paralisadas. A ampliação do sistema de abastecimento de água está orçada em R$ 1,7 milhão e a implantação do sistema de esgotamento sanitário, em R$ 2,4 milhões. Os recursos são liberados pelo Ministério da Saúde, por meio da Funasa.

Durante a reunião, o gestor de Glória D’Oeste contou que trabalha para colocar em dia a documentação necessária para o funcionamento do aterro sanitário que está sendo construído no município. De acordo com Paulo Remédio, outra preocupação é o custeio das atividades do espaço. Ele afirmou que espera tocar o aterro com o apoio das outras prefeituras que compõem o Consórcio Intermunicipal de Desenvolvimento Econômico, Social, Ambiental e Turismo do Complexo Nascentes do Pantanal.