MANÍACO

Preso por esfregar pênis em bebê de 3 meses em ônibus, homem se masturba na frente de faxineira em cadeia

Redação 24 Horas News | 11/10/2018 10:11:20

Ela relatou que lavava uma das celas quando o tarado a chamou e pediu um copo com água. Ao entregar a água, segundo a vítima, o criminoso abaixou a calça e começou a se masturbar em sua frente.

Quando não tem jeito, não tem jeito. Carlos Eduardo Fortes da Silva, 50 anos, foi preso na quarta-feira pela manhã, acusado de esfregar seu pênis no corpo de um bebê, em um ônibus lotado. Chegou a ser agredido por populares, levando um soco. Não aprendeu a lição e horas depois tirou o pênis para fora, dentro da cadeia e se masturbou na frente de uma funcionária da limpeza

Leia também:

Homem de 50 anos é preso em flagrante após esfregar pênis em bebê de três meses no colo da mãe

Bandidos invadem escritório, rendem advogado, fazem bagunça e roubam note-book e celulares

Em Mato Grosso, ladrões são presos e dizem já temer eleição de Bolsonaro à presidência da República

Agindo muito rápido, PMs prendem assaltantes que invadiram casa e amarraram vítimas nesta manhã

Ponto de venda de drogas em Várzea Grande é fechado pela Polícia Civil

Carlos Eduardo Fortes da Silva, 50 anos, já é considerado um doente, maníaco e mostrou que terá de passar por um sério tratamento médico. Depois de ser preso e conduzido para a Central de Flagrantes de Várzea Grande ao esfregar o pênis em um bebê de três meses e ‘passar a mão’ em uma idosa de 61 anos dentro de um ônibus, foi conhecer a cadeia. E conheceu também a faxineira do local, uma senhora de 58 anos.

Ela relatou que lavava uma das celas quando o tarado a chamou e pediu um copo com água. Ao entregar a água, segundo a vítima, o criminoso abaixou a calça e começou a se masturbar em sua frente.

Além do ataque no ônibus e na delegacia, a Polícia Militar informou que Carlos Eduardo tem oito passagens pela Justiça por crimes semelhantes.


ATENÇÃO: Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do 24 Horas News