Quem é João de Deus, o médium acusado de abuso sexual?

Metrópoles | 09/12/2018 19:50:02

Ele recebe cerca de 5 mil pessoas em sua casa descobriu seu dom aos 9 anos e aos 16 passou a atender cirurgias espirituais

Há 44 anos, o médium João de Deus atende milhares de pessoas em Abadiânia (GO). Turistas do mundo inteiro vão até a cidade localizada a 100km de Brasília para serem atendidos pelo “homem santo”. No rol de fiéis, estão celebridades internacionais, como Oprah Winfrey e Naomi Campbell. Mas também uma vasta lista de políticos, na qual estão incluídos o governador do Distrito Federal, Rodrigo Rollemberg (PSB) e os ex-presidentes do Brasil Dilma Rousseff e Luiz Inácio Lula da Silva.

Na noite de sexta-feira (7/12), o programa do jornalista Pedro Bial revelou a história de 10 mulheres que acusam João de Deus de assédio sexual. Apenas uma, entretanto, se dispôs a mostrar o rosto. A coreógrafa holandesa Zahira Lieneke Mous deu um depoimento estarrecedor. “Ele abriu a calça, colocou a minha mão no pênis dele e começou a movimentar a minha mão. Estava em choque”, contou.

Muito antes, porém, de o caso vir à tona, com mais de uma dezena de vítimas relatarem abusos sexuais praticados pelo médium, o Ministério Público de Goiás (MPGO) denunciou o médium por fraude sexual, conforme noticiou reportagem da revista Veja Brasília em 4 de setembro de 2013. Uma moça, na época com 16 anos, sofria com crises de pânico e buscou a Casa Dom Inácio de Loyola.

Durante seu atendimento, descreveu ao MP, João teria pedido ao pai da menina, seu acompanhante na ocasião, para ficar de costas e com os olhos fechados. “Em seguida, [João] acariciou os seios, barriga, nádegas e virilha da menina”, descreve a ação”. E ainda sustenta: “Não satisfeito, o denunciado segurou, por cima da roupa, a mão da vítima, movimentando-a para cima e para baixo sobre seu órgão genital, afirmando que através daquele tratamento seria curada”.

Inocentado A juíza da comarca de Abadiânia, Rosângela Rodrigues Santos, considerou em sua sentença que não há como tipificar no episódio o crime de fraude sexual, previsto em quatro hipóteses: substituição de uma pessoa por outra, quando o agente simula celebração de casamento, má-fé em união por procuração e em caso de estado de sonolência da vítima.

“Com efeito, a conduta do acusado, ao afastar-se dos princípios éticos e da caridade que norteiam os ensinamentos de Allan Kardec, foi imoral, mas não caracteriza violação sexual mediante fraude, por ausência de suas principais elementares”, afirmou a juíza em em decisão publicada pela Veja Brasília.

No documento, a magistrada diz ter convicção de que o ato foi praticado, mas considera que a moça, embora com síndrome do pânico, tinha condições de evitar o episódio, por exemplo, pedindo ajuda ao pai, que estava na sala. Aos prantos, a menina teria ficado com nojo das mãos que tocaram em João. O médium foi inocentado em 2010, sob o argumento de defesa de falta de provas para a condenação.

As vítimas ouvidas pelo Programa do Bial foram abusadas entre 2010 e 2018 e o padrão de atuação do médium parece bem similar: João de Deus atende as vítimas no fim do dia e as atacam no banheiro de seu escritório.

João Teixeira de Faria nasceu em Cachoeira de Goiás, em junho 1942. O filho de alfaiate conta em entrevistas que seus dons começaram a aparecer a partir dos nove anos. Apadrinhado por Chico Xavier, serviu de médium para cura espiritual pela primeira vez aos 16 anos. Frequentou a escola apenas até o segundo ano do ensino fundamental, e diz não saber ler nem escrever. Também trabalhou brevemente como aprendiz de alfaiate, minerador e ceramista. Vive em Anápolis, a 40 quilômetros de Abadiânia.

Depois de passar por diversas cidades, em 1976 decidiu se fixar em Abadiânia (GO), fundando a Casa Dom Inácio de Loyola, onde estima receber cerca de 5 mil pessoas por semana, atendidas, segundo ele, por um dos 30 médicos incorporados. O movimento de pacientes é tão grande que se tornou a principal renda da região. Movimentando especialmente a rede hoteleira e o comércio de alimentos e artesanato.

Em 2012, uma reportagem da Folha de São Paulo mostrou que João de Deus é dono de pelo menos uma fazenda de 597 alqueires na divisa de Goiás com Mato Grosso, avaliada em R$ 2 milhões. Segundo a reportagem, o médium tem o garimpo como fonte de renda.

Celebridade internacional Em 1991, João de Deus teve o seu primeiro grande paciente com fama internacional: a atriz americana Shirley MacLaine o procurou para tratar um câncer na região abdominal. A partir de então, passou a ser conhecido ao redor do mundo como John of God. Atualmente, as autoridades de Abadiânia estimam que 80% das pessoas que vão em busca de tratamento espiritual sejam estrangeiras.

O boca a boca entre as celebridades levou a apresentadora e empresária Oprah Winfrey até Abadiânia. Ela gravou uma entrevista com o médium em 2012 e transmitiu a conversa na TV aberta americana. Em seguida, diversos canais internacionais chegaram a fazer matérias sobre os poderes sobrenaturais de João de Deus, com direito a documentários em grandes emissoras.

Apesar de ter sua base fixa no Entorno de Brasília, João de Deus já realizou cirurgias espirituais em diversos países como Alemanha, Estados Unidos, Grécia, Suíça, Áustria, Austrália, Índia e Nova Zelândia.

Apesar dos mais diversos tipos de doenças que chegam ao médium, os tratamentos não mudam muito. Boa parte deles são feitos com cortes, ora por tesouras, outras vezes com facas comuns, inseridas nos olhos, narinas e abdômen dos pacientes. Os cortes são fechados ali mesmo, com pequenos pontos dados por ele, e as cirurgias tem curta duração. Os procedimentos não são cobrados, apenas os medicamentos manipulados.

Ele é acompanhado por ajudantes. Algum deles médicos que deixaram suas profissões para trabalharem como auxiliares. São essas pessoas que fazem o primeiro “atendimento” com orações e a triagem dos pacientes. Mesmo sob a crença em que as cirurgias espirituais têm o efeito desejado, João de Deus pede que seus pacientes não abandonem os tratamentos convencionais, pois ele também frequenta as melhores instituições de saúde do país.

O médium chegou a pesar 130 quilos, distribuídos em 1m 80, mas perdeu 30 quilos durante sessões de quimioterapia. Há três anos, ele recebeu um diagnóstico dramático: câncer agressivo no estômago. O tumor maligno foi extraído numa cirurgia de dez horas, em agosto de 2015, pelo cirurgião Raul Cutait, no Hospital Sírio-Libanês, em São Paulo.

João de Deus só revelou a doença a familiares e pessoas de extrema confiança. Nas raras vezes em que mencionou o tumor nas sessões com os peregrinos que o procuraram em Abadiânia contornava a gravidade da situação. Ele também é hipertenso e já recebeu três stents nas artérias. As cirurgias foram realizadas pelo renomado cardiologista Roberto Kalil, também no hospital paulista.

Até hoje, uma vez por mês, João de Deus deixa Abadiânia rumo a São Paulo. Em hospitais renomados e de alto padrão, o médium atende pessoas que estão em tratamentos convencionais. Há também quem “importe” os tratamentos de João e mande buscá-lo em aviões particulares para levá-los até pessoas enfermas.

Abadiânia Pai de nove filhos, um com cada mãe, o poder de João de Deus não é exercido apenas pelos dons espirituais. O médium também tem influência sobre a vida das 17 mil pessoas que moram em Abadiânia. Segundo relatos, o “médico” é frequentemente consultado sobre negócios, relacionamentos e demais assuntos.

A palavra do médium também tem peso na economia da cidade. A maioria das cirurgias feitas por João de Deus têm como prazo de repouso ao menos 24 horas. Com um movimento de 5 mil pessoas por semana, é comum a cidade estar cheia durante toda a semana.

Em sua “casa”, também há lanchonete e uma loja de venda de artigos espirituais, livros e farmácia com uma água, considerada energizada por quem a adquire e um medicamento manipulado que custa em média R$ 50.

Jornalista: Suzano Almeida