“Não sai uma frase com nexo”, diz Joice sobre obstrução na CCJ

Isabella Macedo | 15/04/2019 17:35:27

Deputada diz estar disposta a levar sessão pela madrugada e evitou mencionar diesel, mas garantiu que não terá política intervencionista

Assessoria da deputada Joice Hasselmann/Divulgação

A líder do governo no Congresso, deputada Joice Hasselmann (PSL-SP), afirmou na tarde desta segunda-feira (15/04/19) que está disposta a seguir madrugada adentro para votar o relatório da reforma da Previdência na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara.

Segundo ela, a oposição faz obstrução que “nada tem a ver” com a Previdência ou com o Orçamento Impositivo, outra Proposta de Emenda à Constituição (PEC) na pauta. Pouco após a fala da líder, que veio ao Palácio do Planalto se reunir com o ministro Onyx Lorenzoni (Casa Civil), o governo sofreu uma derrota no colegiado com a aprovação do início da discussão da PEC do Orçamento Impositivo, atrasando a Previdência.

“Não sai uma frase com nexo, com sujeito, verbo e predicado que realmente possa ser aproveitado pelo país”, disse ela sobre os discursos dos parlamentares que obstruem a discussão. Questionada se o governo tem alguma estratégia para combater a obstrução da oposição, ela afirmou que “lamentavelmente”, a estratégia oposicionista usa artifícios previstos no Regimento Interno da Câmara dos Deputados (RICD), mas considera uma “brincadeira de mau gosto” com temas importantes e “desleixo com o dinheiro público”. “Não tem muito o que fazer”, completou.

Entretanto, a ideia é conversar com os partidos do chamado Centrão para “invadir a madrugada” e tentar votar o relatório da Previdência. “Se querem fazer kit obstrução, muito bem. Fiquem obstruindo e vai ter que trabalhar até mais tarde, até três, quatro, cinco da manhã se necessário. Não dá para ficar brincando com o que é muito sério para o país” disse a deputada, que também disse que seria leviano não considerar arriscado levar a votação para quarta-feira (17/04/19), dia em que o quórum deve estar reduzido em função do feriado de Páscoa. “Ideal é aprovar até terça”, afirmou ela.

Greve e Petrobras A líder evitou comentar sobre a intervenção do presidente Jair Bolsonaro (PSL) no preço do óleo diesel na semana passada. Bolsonaro teria tomado a decisão após ser alertado de uma possível greve dos caminhoneiros caso o preço fosse elevado. “Risco de tudo sempre há nesse país”, afirmou ela, para quem Bolsonaro sabe o que faz e estrá tratando o tema com cuidado.

Joice disse que é “absolutamente liberal” e acredita que o mercado “tem que dar conta de si mesmo”, mas se Bolsonaro decidiu intervir, ele sabe o que está fazendo. “Não cabe à líder do governo no Congresso questionar uma decisão do presidente”.

Segundo a líder, ela tem pedido calma aos colegas parlamentares que questionaram a intervenção do governo no preço do combustível. A deputada afirmou que Bolsonaro passou a seus líderes a impressão de querer entender a política de preços e o que considera justo. “O que o presidente nos faz entender é que ele está tentando apertar um pouquinho um ou outro parafuso que está meio frouxo aí no meio dessa questão dos combustível”. Joice garantiu que não haverá política intervencionista no governo.

Jornalista: Isabella Macedo